"Ouve apenas superficialmente o que digo
e da falta de sentido nascerá um sentido
como de mim nasce inexplicavelmente vida alta e leve"
C. Lispector

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Parei, enfim

Já faz meses que não paro. Não que seja algo latente...  A falta sempre esteve ali expressa em irritação, insegurança e medo. Só vejo de forma mais clara agora. É tão ruim não poder apenas ler incessantemente algum livro interessante ou ainda desligar o cérebro por horas em frente de uma TV. Sonhos vívidos e amedrontadores me fazem definhar minutos antes de esquecê-los. Sinto-me obesa, insossa, enferma, nostálgica: Uma angústia crescente que só aumenta e dissipa a letargia que me consome. Um monstro adormecido que, por vezes, me controla! Ou será que apenas é tão distraído quanto sua presa e inerte é subjugado periodicamente por vis instintos? Poderia ter controle... Crédula que tento ser ignoro o descuido e sorvo meu próprio desespero. Preguiça e descaso impedem a realização de direitos acadêmicos. Decido-me, contudo, não me drogar. A droga da estagnação e da obediência. A abstinência corrói qualquer certeza. As horas se perdem na abnegação da coragem, do bom-senso e do pensar de que há quem me ame. A fertilidade dos campos do intelecto é letal e atinge o ápice. A ascensão da descrença é factual. Sinto vontade de estar perto dele para que sua devoção seja meu foco, mas, de forma infeliz, isso já ocorrera e na verdade só vi através de uma lente turva carinhos falsos e propositados. Enquanto leio não é preciso me situar sobre minha vida. Outro mundo é bem mais fascinante. A lucidez é uma ameaça. Entrementes ouço latidos e uivos ao lado e me pergunto por que não me chamaram. Minhas lágrimas e lamentos poderiam fazer coro aos sons obscenos que entoam. Obtusa, resignei-me a escrever, escrever para mim, o que tão somente é a consequência da doença-da-alma e não o cerne das mazelas. Este está cada vez mais inacessível. 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Caio Fernando Abreu


A vida é minha. Mas o coração, é seu. O sorriso é meu. Mas o motivo, é você.

sábado, 19 de novembro de 2011

Seu Jorge


Temos rotas a seguir
Podemos ir daqui pro mundo
Mas quero ficar porque
Quero mergulhar mais fundo
Só de me encontrar no seu olhar
Já muda tudo
Posso respirar você
E posso te enxergar no escuro
Tem muito tempo na estrada
Muito tem
E como quem não quer nada
Você vem
Depois da onda pesada
A onda zen
É namorar na almofada
E dormir bem
Foi o seu olhar
O que me encantou
Quero um pouco mais
Desse seu amor... 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Quero de presente de Natal ='/


TEATRO MÁGICO

Teatro Mágico
*CITIBANK HALL RIO DE JANEIRO - 17 - Dezembro - 2011

Caio Fernando Abreu

Virava pra lá e pra cá na cama. Estava impaciente. Até me sentei no escuro. Pensei: Não era uma posição o que eu procurava, era você. 

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Clarice L.

Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.
Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.
Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Retrato

Silencio-me nos dias em que se seguem a certeza, a calma e a coragem. Sinto forças que me transbordam, surge rubor em minha face. Deleito-me nas incertezas e me afundo em insegurança: choro noite e dia. Fujo da verdade que não vejo, desvelam-se as vontades vãs e pela primeira vez é certo. O moral não importa e os valores tampouco, o apoio já veio. Perco-me receando minha própria sabotagem. Creio em mim. Prontamente sei, e tudo que sei é vazio. Os fantasmas que tanto me atormentam se escondem e surgem novas possibilidades. O carinho me conquista. Não sei se é ilusão, mas vale à pena. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Cecília Meireles

"O Amor...

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Guerreiro !




Eu estive na terceira divisão. E na segunda também. Mas minha torcida era apaixonada demais para me abandonar neste momento. Eu estive no topo da América e a mesma torcida que não tinha desistido em momento algum me apoiou. E mesmo perdendo ela não deixou de me amar. E se o "monstro" do rebaixamento bater em minha porta de novo, minha torcida estará lá gritando que eu sou o ETERNO CAMPEÃO e que para sempre vai me amar! Eu desbanquei grandes times com o apoio incondicional desses enlouquecidos, que me acompanham segundo a segundo, chute a chute, gol a gol. Vibram, choram, amam. Ilustres apaixonados já disseram que eu tenho vocação para a eternidade, que tudo passa, mas o TRICOLOR JAMAIS PASSARÁ! E acima de tudo eles tês orgulho de vestir a minha camisa, a das três cores que traduzem tradição! Prazer, Fluminense Football Club.
Juliana Araújo

sábado, 29 de outubro de 2011

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Frases do Face

Às vezes, as coisas que você mais quer, não acontecem. E aquelas que você menos espera, acontecem. Eu não sei, você conhece milhares de pessoas e nenhuma delas te toca. E aí você conhece uma pessoa e a sua vida muda para sempre.

(Love and Other Drugs)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Nine in the afternoon

 Back to the street where we began


Feeling as good as lovers can, you know
That we're feeling so good

Picking up things we shouldn't read,
It looks like the end of history as we know,
It's just the end of the world.

Back to the street where we began
Feeling as good as love, you could, you can

Into a place where thoughts can bloom
Into a room where it's nine in the afternoon
And we know that it could be
And we know that it should
And you know that you feel it too

'Cause it's nine in the afternoon
Your eyes are the size of the moon
You could, 'cause you can, so you do
We're feeling so good, just the way that we do

When it's nine in the afternoon
Your eyes are the size of the moon
You could,'cause you can, so you do
We're feeling so good

Back to the street, down to our feet
Losing the feeling of feeling unique
Do you know what I mean?
Back to the place where we used to say,
"Man it feels good to feel this way"
Now I know what I mean

Back to the street, back to the place
Back to the room where it all began
Back to the room where it all began

'Cause it's nine in the afternoon
Your eyes are the size of the moon
You could, 'cause you can, so you do
We're feeling so good, just the way that we do

When it's nine in the afternoon

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Xanéu nº5

Teatro Mágico
"Enquanto pessoas perguntam por que, outras pessoas perguntam por que não?
Até porque não acredito no que é dito, no que é visto.
Acesso é poder e o poder é a informação. Qualquer palavra satisfaz. A garota, o rapaz e a paz quem traz, tanto faz. O valor é temporário, o amor imaginário e a festa é um perjúrio. Um minuto de silêncio é um minuto reservado de murmúrio, de anestesia. O sistema é nervoso e te acalma com a programação do dia, com a narrativa. A vida ingrata de quem acha que é notícia, de quem acha que é momento, na tua tela querem ensinar a fazer comida uma nação que não tem ovo na panela que não tem gesto, quem tem medo assimila toda forma de expressão como protesto."

Metas consumistas



segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Boba, pra variar..

Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.

Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.

Clarice Lispector

Conjeturas


 Orientado por Margareth Alves
BARROS, Marco Aurélio N. “Fundamento das Ciências Sociais” Ciências Sociais: Para aprender e viver São Paulo: Lumen Juris, 2009. p 121

A política de cotas é baseada no princípio de equidade. O Estado visa à superação das desigualdades sociais e regionais, por meio de um processo democrático que conduza à justiça social valorizando a ética, a justiça, a democracia e a solidariedade. A discriminação ocorre ao tratarmos como iguais pessoas em situações diferentes e pessoas diferentes em situações iguais. Existem duas formas de tratarmos a discriminação: a repressiva punitiva, na qual o Estado proíbe e pune tendo como objetivo a sua eliminação na sociedade; e a promocional, dita como discriminação positiva ou reversa onde o Estado estimula ações para buscar a igualdade. A política de ações afirmativas consiste em tratar como desiguais pessoas em situações diferentes, promovendo verdadeira compensação com oportunidades. As ações afirmativas, contudo não são capazes de resolver a problemática da desigualdade social. Trata-se de uma ação paliativa.
As cotas brasileiras não são instrumentos suficientes para aumentar a representação política da mulher pois a legislação que instituiu as cotas não faz obrigatório o preenchimento dos percentuais; inexiste punição no caso de descumprimento e porque houve a ampliação do número de candidatos que podem ser lançados, aumentou substancialmente o número de concorrentes. Apesar das cotas fomentarem a candidatura feminina, em relação a ganhos eleitorais não houve impacto na evolução do percentual de eleitas.
A política de cotas para negros no vestibular justifica-se diante da constatação de que a universidade brasileira é composta na sua maioria esmagadora por brancos; valorizando assim apenas um segmento étnico na construção do pensamento dos problemas nacionais, limitando a oferta de soluções para as dificuldades encontradas em nosso país. Entretanto trata-se de uma medida de cunho emergencial e não uma solução definitiva. Não basta o Estado coibir o racismo, mas há necessidade de tratamento preferencial àqueles que durante o processo de organização e construção da sociedade, foram marginalizados. Contudo, analisando a miscigenação predominante no país torna-se complexo demais declarar que é ou não branco, quem merece ou não merece prioridade. A política de cotas para negros dentro das universidades brasileiras está descrita no Estatuto da Igualdade Racial. Os alunos de escolas públicas, privados de ensino de qualidade também estão inclusos na política de cotas. Observando as necessidades dessa parte da população parece ser muito mais necessário a implementação de cotas para eles, independentemente da raça.
A proteção legal no Brasil no que tange as garantias constitucionais em relação aos portadores de necessidades especiais é bem elaborada. Um dos objetivos fundamentais da República Federativa é construir uma sociedade livre, justa e solidária, bem como promover o bem estar de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Para os deficientes as cotas são compulsórias. É proibido discriminação quanto aos salários e critérios de admissão, a lei reserva cargos e empregos públicos, a assistência social é empregada em busca de habilitá-los e reabilitá-los, propiciar bem-estar pessoal, social e econômico, há reserva de mercado de trabalho e proteção de seus interesses, dentre tantas outras particularidades. A pequena participação dos portadores de deficiências não decorre da falta de um sistema legal, mas sim da carência de ações, estímulos e instituições que viabilizem de forma concreta a participação.
As políticas afirmativas têm sido aplicadas em sociedade diferentes que compartilham características muito semelhantes e frequentemente levam a resultados muito parecidos. Alguns grupos preferenciais existem para maiorias, outros para minorias. Atualmente, nos EUA, denomina-se ação afirmativa o conjunto de programas para menos privilegiados; já na Grã-Bretanha e na Índia dá-se o nome de “discriminação positiva”; de “padronização” no Sri Lanka; “ refletindo o lado federal do país” na Nigéria e de “filhos do solo” na Malásia e Indonésia, e também em alguns estados na Índia. Existem grupos preferenciais também em Israel, China, Austrália, entre outros.
O aumento do PIB não interferiria na desigualdade no Brasil, pois a renda per capita já é alta. O que falha é a redistribuição da riqueza do país. Isso se evidencia pelo fato de parte da população estar abaixo da linha da pobreza.


Arnaldo Antunes

AS COISAS
As coisas têm peso,
massa,
volume,
tamanho,
tempo,
forma,
cor,
posição,
textura,
duração,
densidade,
cheiro,
valor,
consistência,
profundidade,
contorno,
temperatura,
função,
aparência,
preço,
destino,
idade,
sentido.
As coisas não têm paz.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Incertezas da madrugada


Quero encontrar-me. Amar sem restrições. Jogar-me em vontades e resoluções. Achar quem possa compartilhar a mira. Encontrar guarida, depositar fé, conseguir resposta. Leia-me e compreenda minha vida. Decifra meus enigmas, Sacia o fervor da minha alma. Encontra a razão de ser. Suplico-te pois não tarda o momento em que se é palpável o terror mais vívido, aquilo que mais temo: o vazio que há em mim.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Isso ai tudo faz uma diferença na gente"




"Eu acho que tenho certeza daquilo que eu quero agora, daquilo que mando embora, daquilo que me demora"

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Dor do retorno

Nada se repete. Infelizmente, não é possível reviver lembranças... Já se foram. Aquele muro, o banco, a praia, os olhares, a confissão, trazem apenas a infeliz conclusão de que aquilo que mais sentimos falta, jamais estará lá novamente. As pessoas vivem a metamorfose da vida. O tempo destrói e alivia. O pragmatismo não funciona tão bem quanto desejado. Desata o nós e vai muito além, é e não é o que queremos que seja.

domingo, 2 de outubro de 2011

‎"Os homens do teu planeta - disse o principezinho - cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim...e não encontram o que procuram.."
O Pequeno Príncipe

sábado, 1 de outubro de 2011

Segundo Sol


Cássia Eller

Quando o segundo sol chegar
Para realinhar as órbitas dos planetas
Derrubando com assombro exemplar
O que os astrônomos diriam
Se tratar de um outro cometa
Não digo que não me surpreendi
Antes que eu visse você disse
E eu não pude acreditar
Mas você pode ter certeza
De que seu telefone irá tocar
Em sua nova casa
Que abriga agora a trilha
Incluída nessa minha conversão
Eu só queria te contar
Que eu fui lá fora
E vi dois sóis num dia
E a vida que ardia sem explicação
Explicação, não tem explicação
Explicação,
Não tem
Não tem

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Signo da Cidade


Orientado pela professora Margareth
Com relação ao filme Signo da cidade(Bruna Lombardi C.A.Ricceli) podemos afirmar que a cultura estabelece os padrões dos quais as aptidões e personalidades dos meninos e meninas se desenvolverão

No filme é mostrada uma sociedade convidativa e ao mesmo tempo excludente. As perdas que o indivíduo sofre levam-no ao isolamento, num movimento contínuo. De acordo com os fatos sociais, cada um percebe as limitações que a sociedade impõe. Uns buscam redenção por meio da espiritualidade ou solidariedade; outros desistem e se isolam. Os padrões culturais estabelecidos influenciam diretamente as reações dos indivíduos, formando e modificando suas percepções. Cabe notar que tais padrões determinam uma reação, e esta pode estar de acordo ou não com a consciência coletiva.  De acordo com o meio em que vive o homem pode desenvolver suas características latentes. Vale lembrar também que por mais que se achem excluídos, há algo conectando todos e cada ação interfere em alguém. Isso porque o homem é um ser social e a sociabilidade o impõe isso.  A religiosidade para ele tem a função fundamental de tentar compreender o que não tem resposta.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Você Me Bagunça

Teatro Mágico

Você me bagunça, tumultua tudo em mim
Essa moça ousa, musa, abusa de todo meu sim
Você me bagunça e tumultua tudo em mim
Mira e joga baixo, eu acho, nem sei,
Só sei que foi assim
Assimila, dissimula, afronta, apronta,descarrega-me nos abraços
Lapida minha pedra bruta, insulta, assalta-me os textos, os traços
E desapropria o rumo, o prumo, juro me padeço com você
Me desassossega, rega à alma, roga a calma em minha travessia
Outro porque
Parece que o coração carece e diz parar, silenciar
Se embrulha e se embaralha,
Reconsiderar o ar, o andar , nossa absolvição, a escuta e a fala
Nos amores há, o dia, fio, corredor, a calçada, o passeio e a sala
Se perder sem se podar e se importar comigo
Aprender você sem te prender comigo
Difícil precisar, quanto preciso
Difícil precisar, quanto preciso

Viajando um poucooo


 Modelos políticos  fixados por Aristóteles e pontos de similaridade e diferença no contexto atual
Para Aristóteles a política é a ciência suprema, a qual todas as outras são subordinadas. O homem como um ser social é necessariamente político e por isso precisa viver em sociedade, promover o bem e a felicidade. Contudo ele faz uma filosofia prática e não ideal. Na pólis, o cidadão precisa ser livre, ativo e participante da coisa pública. Escravos e artesãos não disporiam de tempo para exercer a cidadania. Através da democracia surgida na pólis e enraizada na cultura ocidental, depois de muitos anos, percebe-se a república no Brasil. No contexto atual a base assistencialista do governo promove um poder de voto mascarado onde ainda uma parte muito pequena da população manipula as massas. A cidadania é exercida por poucos apesar de ser obrigatória a “presença” eleitoral. O bem público perde-se em meio ao individualismo crescente surgido através do capitalismo.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Eu não sei na verdade quem eu sou


Eu não sei na verdade quem eu sou,
Já tentei calcular o meu valor,
Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou...
Por que a gente é desse jeito
Criando conceito pra tudo que restou?
Meninas são bruxas e fadas,
Palhaço é um homem todo pintado de piadas!
Céu azul é o telhado do mundo inteiro,
Sonho é uma coisa que fica dentro do meu travesseiro!
Mas eu não sei na verdade quem eu sou!
Já tentei calcular o meu valor
Mas sempre encontro o sorriso e o meu paraíso é onde estou
Eu não sei na verdade quem eu sou!
Descobrir da onde veio a vida,
Por onde entrei deve haver uma saída,
Mas tudo fica sustentado pela fé!
Na verdade ninguém sabe o que é!
Velhinhos são crianças nascidas faz tempo!
Com água e farinha eu colo figurinha e foto em documento!
Escola é onde a gente aprende palavrão...
Tambor no meu peito faz o batuque do meu coração!
Perceber que a cada minuto
Tem um olho chorando de alegria e outro chorando de luto
Tem louco pulando o muro, tem corpo pegando doença
Tem gente rezando no escuro, tem gente sentindo ausência!

Da entrega


Teatro Mágico
Apoderar-se de si
Recombinando atos
Não sou quem estou aqui
Sou um instante passo
Cada um, cada qual
Resgatar o júbilo
Existir, ser plural
Repartir o acúmulo
Apoderar-se de si
Remediando passos
Convergir no olhar
Nosso brio e fúria
Conceber, conservar
Aguerrida entrega
Nesse nosso desbravar
Emanemo-nos amor
Até quando suceder
De silenciar
O que nos trouxe até aqui
Nada melhor virá...

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Asp. Socio. e Antrop. da Educação



Resumo do texto “Sobre carros e lobos” de Roberto de Lucca

Orientado pela professora Taís Elaine

O tempo gasto em deslocamentos nos centros urbanos tem impedido a mobilidade, o que muitos não conseguem tolerar. Daí, temos o reflexo do comportamento individual associado ao sistema de trânsito e sua eficiência. Por isso surgem políticas a fim de impedir o excesso de velocidade e a imprudência e negligência no trânsito. Nas diversas sociedades do mundo encontramos predisposições ou não à agressividade, mas o determinante é que os seres não se encaram como iguais. Aqui, no Brasil, uma briga no trânsito pode ter consequências desastrosas pela reação do indivíduo aos atos explícitos de violência. Além desse fator, contamos com a hierarquização social no trânsito que o faz perder a educação. O ser humano possui uma potencialidade de querer sobrepor-se aos demais. Uma vez que a mídia transmite a ideologia do consumo exacerbado, a desigualdade social se expõe. A motivação do condutor em ser prudente se baseia na punição dos infratores. Um congestionamento possui determinantes estressantes como o calor, aglomeração, barulho e poluição; o que torna o trânsito um ambiente passível da exteriorização da irritação e impaciência. Contudo, a forma como os seres humanos reagem depende diretamente da instrução familiar. A ideia de espaço público e de coletivo está se perdendo em meio à competitividade. A melhoria do caos presente no trânsito só é possível com a mudança da postura do condutor em busca de cidadania.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

If I Never Knew You

Pocahontas
If I never knew you
If I never felt this love
I would have no inkling of
How precious life can be
And if I never held you
I would never have a clue
How at last I find in you
The missing part of me
In this world so full of fear
Full of raging lies
I can see the truth so clear
In your eyes, so dry your eyes
And I'm so grateful to you
I'd have lived my whole life through
Lost forever
If I never knew you
I'd be safe, but half as real
Never knowing I could feel
A love so strong and true
I thought our love would be so beautiful
Somehow we'd make the whole world bright
I never knew that fear and hate could be so strong
But they'd leave us where this whispers in the night
But still my heart is saying we were right
And if I never knew you
There's no moment I regret
And if I never knew you
Since the moment that we met
I would have no inkling of
If our time has gone too fast
How precious life can be
I've lived at last...
I thought our love would be so beautiful
Somehow we'd make the whole world bright
I thought our love would be so beautifil
We turned the darkness into light
And still my heart is saying we were right
And if I never knew you
I'd have lived my whole life through
Empty as the sky
Never knowing why
Lost forever
If I never knew you

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Way Back Into Love


I've been living with a shadow overhead
I've been sleeping with a cloud above my bed
I've been lonely for so long
Trapped in the past, I just can't seem to move on

I've been hiding all my hopes and dreams away
Just in case I ever need 'em again someday
I've been setting aside time
To clear a little space in the corners of my mind

All I wanna do is find a way back into love
I can't make it through without a way back into love

I've been watching but the stars refuse to shine
I've been searching but I just don't see the signs
I know that it's out there
There's got to be something for my soul somewhere

I've been looking for someone to shed some light
Not somebody just to get me through the night
I could use some direction
And I'm open to your suggestions

All I wanna do is find a way back into love
I can't make it through without a way back into love
And if I open my heart again
I guess I'm hoping you'll be there for me in the end

There are moments when I don't know if it's real
Or if anybody feels the way I feel
I need inspiration
Not just another negotiation

All I wanna do is find a way back into love
I can't make it through without a way back into love
And if I open my heart to you
I'm hoping you'll show me what to do
And if you help me to start again
You know that I'll be there for you in the end

sábado, 10 de setembro de 2011

Sentença


Sou tudo que possuo, possuo tudo que sou. Da carne não levo nada, levo a polpa. A inconstância desse ser que tanto insiste em sua 'complexibilidade' e que supõe e suplica, me abrace, se afaste e já se foi mais um dia. Luta arduamente, desenvolve, transforma a natureza, seu potencial latente surge em meio a uma miríade de emoções. Duvida do mundo, duvida de si, em quimera se desfaz e... ainda ri! Quão tola  consegue ser, quão sagaz o todo se faz! Como conviver? São apenas princípios.

Resumo - Fundamento das Ciências Sociais


Orientado pela professora Margareth Alves


Cultura, apesar de ser comumente associada a conhecimento formal, é o conjunto de inventos humanos: seja o próprio conhecimento quanto costumes, valores, crenças, técnicas e etc. Os hábitos  culturais são transmitidos através da socialização. Ao redor do mundo, existem diversidades culturais e todos os seres humanos estão aptos a adquirir qualquer tipo de cultura. Biologicamente essa potencialidade é latente, mas o que determinará qual serão seus hábitos é o contexto em que esse indivíduo se insere, a que tipo de situações ele vivencia. Etnocentrismo é o julgamento de outras culturas utilizando como referência os padrões culturais de quem a julga. O relativismo cultural prega que nenhuma cultura pode servir de parâmetro para o julgamento, pois dessa forma haveria a superioridade e inferioridade de umas perante outras.  A hierarquização de culturas não deve ocorrer por todas serem equivalentes. A desigualdade social, entretanto, não é apenas de preconceitos entre sociedades distintas. Ela é um fenômeno de ampla preocupação graças a sua extensão e gravidade. É um problema que está diretamente relacionado aos conflitos sociais a fim de que haja progresso social e melhoria nas condições de vida. O fato de não existir igualdade demonstra a complexidade do assunto e dá um caminho de como devem ser geridas as políticas de diminuição da desigualdade. Essas políticas devem se preocupar especialmente em nivelar desigualdades categóricas, os atributos do indivíduo. Num nível prático, índices foram criados para que se perceba a dimensão da desigualdade. O índice de Gini, por exemplo, mede o grau de concentração de renda em determinado grupo e o IDH mede o desenvolvimento humano baseado em educação, longevidade e renda. No Brasil os índices demonstram a desproporção social apesar de se dizer que a redução da desigualdade é um objetivo fundamental da República. Pontos-chave da desigualdade são relativos a vagarosa ascensão da mulher na política, aos não-brancos que cada vez mais constituem a população de menor renda e a falta de acessibilidade dos deficientes ao mercado de trabalho.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Bienal *-*

"São 28 anos de uma bem-sucedida realização cultural e empresarial, tendo o livro como o astro principal. Em 1983, nos salões do Hotel Copacabana Palace, numa área de cerca de 1 mil m², foi montada a I Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro.Dois anos depois, o cenário foi transferido para o São Conrado Fashion Mall. Em 1987, a Bienal do Livro chegou ao Riocentro, com 15 mil m² ( hoje o maior centro de convenções da América Latina), para tornar-se o acontecimento editorial mais importante do país nos anos ímpares e um evento cultural de mobilização nacional.
O Riocentro ( hoje o maior centro de convenções da América Latina), está reformado e com seus pavilhões climatizados, possui uma área total de 571 mil m², dividido em cinco pavilhões e com amplo estacionamento para sete mil veículos. Endereço: Av. Salvador Allende, 6.555 - Barra da Tijuca, RJ."


A XV Bienal do Livro no Rio, como em todas as  "edições" -pelo menos desde 2001- está surpreendente. Os amantes dos livros, como eu, definitivamente não podem perder. 

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Resumo Annales


Orientado pelo professor Paulo Fernando Cotias


NAVEIRA, O. P. Os Annales e as suas influências com as Ciências Sociais. In: Introdução ao estudo da História. Rev. Virtual de História, São Paulo, ano VI, n.27, janeiro/março, 2006.

Observar a trajetória dos Annales permite-nos a idéia de uma história com forte relação unindo passado e presente independente de suas rupturas e novos começos. Da mesma forma a história, a antropologia e a sociologia, apesar de seus conflitos, são dependentes uma das outras para que se forme um retrato do passado baseado em diversos fragmentos; e mesmo assim não há regressão absoluta. Como uma ciência fortemente volúvel por sua total dependência do processo de socialização de quem a escreve, a história se modifica, é viva, pelas palavras de consagrados nomes, como os principais mentores da revista de Annales – também denominada Escola dos Annales – Marc Bloch e Lucian Febvre. Os Annales também são considerados um movimento mesmo que não homogêneo. Podem-se ser especificados em três fases: a primeira com seus mentores já citados, a segunda marcada por Fernand Braudel e a terceira – também chamada de Nova História -, os historiadores LeGoff, Duby. Há a preocupação da divulgação do conhecimento mesmo que não somente na área acadêmica; não obstante nela ocorrem seus principais debates. Não só isso, havia dois ramos de propostas: um baseado em uma história experimental científica e outra que propunha a interdisciplinaridade, abrangendo métodos e questionamentos advindos de outras ciências sociais. Simiand propõem métodos unificados para todas as áreas de conhecimento humano. Criticava a metodologia positivista uma vez que não aprovava a dimensão temporal cronológica dos fatos, propondo assim, uma identificação de sistemas, estabelecendo-os nas variações e recorrências dos fatos históricos. As sugestões envolviam a sociologia e a partir dos Annales, a história passa a se preocupar com a sociedade e as formas de sociabilidade, já que o homem é um ser social. O homem deixa de ser sujeito e torna-se objeto. Com o tempo, a revista torna-se uma publicação de grande prestígio. No séc XIX permanece a análise positivista e surge a marxista; essa, estabelecendo a práxis de classe revolucionária – ação humana transformadora da realidade social – e aquela possuindo uma visão muito conservadora da sociedade - sendo chamada de reacionária por marxistas ortodoxos. Marx pretende principalmente restituir o homem à sua posição de sujeito retirando-o da alienação. Surgem várias manifestações de suas idéias e a partir daí acontecem conflitos entre os Annales e os já ditos marxistas ortodoxos, que diziam que a revista tinha posição positivista. Outro nome de destaque é Levi Strauss. A sua preocupação era a busca pela interpretação do Homem na sua tomada como objeto através do acesso ao “outro”. Ponty, Durkheim, Levy Bruhl, Bloch e Mauss são exemplos entre tantos que analisaram o acesso à interpretação para o “outro”. Suas contribuições e influências foram importantes, mas Strauss foi quem melhor desenvolveu. De acordo com Mauss o fato social era uma rede de valores simbólicos que se insere no indivíduo mais profundo. No entanto ele não chegou a um modelo. Com Strauss, os fatos sociais não são mais coisas ou idéias, tornam-se estruturas. A etnologia (ramo das ciências humanas que tem por objeto o conhecimento do conjunto dos caracteres de cada etnia, a fim de estabelecer as linhas gerais da estrutura e da evolução das sociedades) torna-se uma forma de pensar que exige a própria transformação daquele que a observa para que seja possível ver como o outro; ignorar seu próprio eu a fim de que se compreenda aquilo que excede a razão. Dessa forma, também para entender a história é preciso de questionamentos do pesquisador e análises de diversas fontes que são vestígio de possibilidades. As ciências socias, por sua característica básica de entender a sociedade, são fundamentais para esse objetivo; daí a importância da interdisciplinaridade.