"Ouve apenas superficialmente o que digo
e da falta de sentido nascerá um sentido
como de mim nasce inexplicavelmente vida alta e leve"
C. Lispector

quarta-feira, 10 de abril de 2013

sexta-feira, 1 de março de 2013

Pq foi um delicioso começo



O amor tudo sofre, tudo suporta, jamais acaba..

Saudades da Ju =/





Delícia de Gafieira ;]
Odonto UERJ - Mais uma conquista..


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Celebrar!



Dance como se ninguém tivesse te olhando dançar
Cante bem alto embaixo do chuveiro
Se olhe no espelho, se ache legal
Quer saber? A vida é carnaval!
Tire um dia inteiro pra você
Leia um livro, ligue a TV
Telefone pra quem tem saudade
Faça tudo que quiser fazer
Celebrar!
Como se amanhã o mundo fosse acabar
Tanta coisa boa a vida tem pra te dar
O pensamento leve faz a gente mudar
Se acostume com a felicidade
Seja inteiro e não pela metade

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

1 ano ♥

Não me lembro mais qual foi nosso começo. Sei que não começamos pelo começo. Já era amor antes de ser. - Clarice Lispector

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Andar pela casa e te ver no espelho.. Temer descobrir que meu adesivo não está mais lá. Temer ser ignorada a cada instante, temer nunca mais te ver no espelho. A vaidade abandona.. Não o costume, a rotina, a insônia. Naturalmente o pensamento angustia. Onde será que você está agora, além de aqui?
Sinto-me leve. Sinto-me suja. Amo mais. Temo mais. Medos bobos.O contínuo e eterno tormento do caminho.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Capaz de largar tudo, de fazer qualquer coisa, de me cegar... Sem nada. Deixar de escrever, de viver..
Principalmente de entender o que as palavras não dizem. Toda essa paz de espírito é só mais uma forma de me enganar, de fechar os olhos. Esconder o vazio, diminuir a presença. Fingir seguir em frente. Esperar o futuro com lágrimas no caminho. Ouvir a negação é ainda mais doloroso. Imaginando o que poderia ter sido... Mas não poderia, não foi. Não foi certo, nem justo... Miserável vontade.Conseguirei de qualquer jeito! Exagero meu.
Sinto falta do seu corpo junto ao meu. De acordar ao lado dele e sentir sua respiração no pescoço. De sentir seus carinhos e de ouvir me chamando de sua. De ver seu nariz amassado, seus olhos juntos demais, suas covinhas, sua barriga de cerveja, seus dedos sujos de silicone. De ver um torpedo dele dizendo "saldade", ou que está sendo "cinsero". De sua implicância, de nossas discussões ideológicas, do seu senso tão comum. 
Nunca mais será assim.
Não serei.
Será o fim.
Será?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Etapas



E mais uma vez desisto. Quero imaginar que fui forçada, que não é suportável, mas a verdade é que a fragilidade que desenvolvi é usada como escudo. Mimada que sou não aguento mais e fim.. E isso pesa, como obrigação, e o sentimento de incompetência aflige de forma tão insuportável quanto é pensar em prosseguir. As possibilidades são inúmeras e escassas ao mesmo tempo. Meu corpo se encheu, treme, dói, chora, finge, sorri, agradece...  Passei tanto tempo tentando fazer o certo, mas de fato ninguém se importa. Protelo com o que dá. Minha juventude justifica. Habilito-me em outras áreas e o que tiver de ser será. Não gosto de pensar em voltar atrás agora. Discuti com quem devo, com quem me importa e se importa. Decisão válida, calculada, e que se dane.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Happy Valentine's day!

"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós." C.L.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

...

Como queria poder fazer isso..
Tenho muito a dizer, estou sensível e perceptiva como nunca. Algo novo. Posso resumir tudo isso em uma fatalidade, dois nomes, um estado de espírito e um sentimento que sempre acompanha: FALTA DE TEMPO, Vinicius, Mami, ESTRESSE e amor!! Pronto.. dito!

sábado, 21 de janeiro de 2012

Eu

O tempo passa, tudo muda, mas na verdade é igual. A mesma fragilidade,  mesma insegurança, as mesmas palavras. Sinto-me cheia de vazios que me pressionam e impedem que algo, por mais significativo e imaculado que seja, perdure e transpasse as barreiras que eu mesma criei. Eu, e somente eu, me destruo na ansiedade. Perco os hábitos, desisto da procura, recorro ao de sempre que é satisfatório enquanto não me questiono e tenho certeza sobre mim. Minto.Para mim. Eu não aguento e grito, choro, oro, desisto de novo, perco a cabeça... e que bom que não me precipitei. Descubro-me apaixonada e temo por talvez ver novamente meu coração se estraçalhar em suas mãos. Seguro o dele, invisível, sem peso, sem cheiro e tomo cuidado em tatear o vazio para que nada o aflija, nada o atinja, é minha responsabilidade, é meu coração.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Lucky

Do you hear me, I'm talking to you
Across the water across the deep blue ocean
Under the open sky oh my, baby I'm trying
Boy I hear you in my dreams
I feel you whisper across the sea
I keep you with me in my heart
You make it easier when life gets hard
Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Oooohhhhoohhhhohhooohhooohhooohoooh
They don't know how long it takes
Waiting for a love like this
Every time we say goodbye
I wish we had one more kiss
I wait for you I promise you, I will
Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday
And so I'm sailing through the sea
To an island where we'll meet
You'll hear the music, feel the air
I put a flower in your hair
And though the breeze is through trees
Move so pretty you're all I see
As the world keep spinning round
You hold me right here right now
Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday
Ooohh ooooh oooh oooh ooh ooh ooh ooh

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Parei, enfim

Já faz meses que não paro. Não que seja algo latente...  A falta sempre esteve ali expressa em irritação, insegurança e medo. Só vejo de forma mais clara agora. É tão ruim não poder apenas ler incessantemente algum livro interessante ou ainda desligar o cérebro por horas em frente de uma TV. Sonhos vívidos e amedrontadores me fazem definhar minutos antes de esquecê-los. Sinto-me obesa, insossa, enferma, nostálgica: Uma angústia crescente que só aumenta e dissipa a letargia que me consome. Um monstro adormecido que, por vezes, me controla! Ou será que apenas é tão distraído quanto sua presa e inerte é subjugado periodicamente por vis instintos? Poderia ter controle... Crédula que tento ser ignoro o descuido e sorvo meu próprio desespero. Preguiça e descaso impedem a realização de direitos acadêmicos. Decido-me, contudo, não me drogar. A droga da estagnação e da obediência. A abstinência corrói qualquer certeza. As horas se perdem na abnegação da coragem, do bom-senso e do pensar de que há quem me ame. A fertilidade dos campos do intelecto é letal e atinge o ápice. A ascensão da descrença é factual. Sinto vontade de estar perto dele para que sua devoção seja meu foco, mas, de forma infeliz, isso já ocorrera e na verdade só vi através de uma lente turva carinhos falsos e propositados. Enquanto leio não é preciso me situar sobre minha vida. Outro mundo é bem mais fascinante. A lucidez é uma ameaça. Entrementes ouço latidos e uivos ao lado e me pergunto por que não me chamaram. Minhas lágrimas e lamentos poderiam fazer coro aos sons obscenos que entoam. Obtusa, resignei-me a escrever, escrever para mim, o que tão somente é a consequência da doença-da-alma e não o cerne das mazelas. Este está cada vez mais inacessível. 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Caio Fernando Abreu


A vida é minha. Mas o coração, é seu. O sorriso é meu. Mas o motivo, é você.

sábado, 19 de novembro de 2011

Seu Jorge


Temos rotas a seguir
Podemos ir daqui pro mundo
Mas quero ficar porque
Quero mergulhar mais fundo
Só de me encontrar no seu olhar
Já muda tudo
Posso respirar você
E posso te enxergar no escuro
Tem muito tempo na estrada
Muito tem
E como quem não quer nada
Você vem
Depois da onda pesada
A onda zen
É namorar na almofada
E dormir bem
Foi o seu olhar
O que me encantou
Quero um pouco mais
Desse seu amor... 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Quero de presente de Natal ='/


TEATRO MÁGICO

Teatro Mágico
*CITIBANK HALL RIO DE JANEIRO - 17 - Dezembro - 2011

Caio Fernando Abreu

Virava pra lá e pra cá na cama. Estava impaciente. Até me sentei no escuro. Pensei: Não era uma posição o que eu procurava, era você. 

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Clarice L.

Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.
Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.
Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Retrato

Silencio-me nos dias em que se seguem a certeza, a calma e a coragem. Sinto forças que me transbordam, surge rubor em minha face. Deleito-me nas incertezas e me afundo em insegurança: choro noite e dia. Fujo da verdade que não vejo, desvelam-se as vontades vãs e pela primeira vez é certo. O moral não importa e os valores tampouco, o apoio já veio. Perco-me receando minha própria sabotagem. Creio em mim. Prontamente sei, e tudo que sei é vazio. Os fantasmas que tanto me atormentam se escondem e surgem novas possibilidades. O carinho me conquista. Não sei se é ilusão, mas vale à pena. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Cecília Meireles

"O Amor...

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"